ATENÇÃO!   
>>>PRAZO PRORROGADO ATÉ 21/JULHO/2018<<<
Não deixe de ler atentamento o Edital para submissão (abaixo) e baixar o arquivo com o modelo de artigo (no fim da página).
Cada artigo deverá ser classificado de acordo com um dos temas abaixo:

EMENTA: O uso de animais para consumo humano é algo imemoriável. A exploração por caça, pesca e coleta de animais, antes encarado com a simples justificativa de sobrevivência, hoje alcança questões sociais, econômicas, políticas e ecológicas. As consequências da exploração de recursos animais, na maioria das vezes sem controle ou regulamentação, trazem problemas ecológicos, incluindo desequilíbrios que podem ser irreversíveis ao planeta. Na pesca predatória, por exemplo, os peixes estão ficando cada vez menores, pois não há tempo para crescerem entre as gerações; algumas espécies, comuns no passado, já não são mais encontradas; a sobrepesca de mariscos, polvos e crustáceos, presas que servem de alimento para outros animais, afeta a cadeia alimentar obrigando os seus predadores a buscarem outros recursos ou migrarem de lugar. Há registro de caça, mesmo não sendo regulamentada no Brasil, que mata milhares de indivíduos, incluindo espécies ameaçadas de extinção. Medidas de conscientização e controle são urgentes para recuperar o equilíbrio ambiental em nosso planeta.

COORDENADOR: Josias Henrique de Amorim Xavier

CV: http://lattes.cnpq.br/6109125124813830

******************************

 

EMENTA: O GT tem como objetivo acolher trabalhos de perspectiva inter e multidisciplinar que analisem e discutam a presença animal no âmbito das religiões e das espiritualidades, seja na dimensão mítica, seja na ritual ou simbólica. Serão bem-vindos também trabalhos que investiguem as controvérsias em torno das religiões que fazem uso de sacrifício animal e o transbordamento de tais práticas religiosas para os debates públicos, políticos e jurídicos.

COORDENADORA: Dilaine Soares Sampaio

CV: http://lattes.cnpq.br/3798077841438858

******************************

 

EMENTA: O GT abarca a discussão a respeito das relações éticas entre humanos e animais não humanos, assim como a responsabilidade e a ética com o meio ambiente. Sendo também aceitas pesquisas que abordem as questões que perpassam as demandas da Bioética Animal com foco em pesquisas cientificas ou educação para conscientização do animal como sujeito de direito na sociedade.
COORDENADORA: Sabrina Rafael Bezerra
CV: http://lattes.cnpq.br/4521811648555199
VICE-COORDENADOR: Ulrich Vasconcelos da Rocha Gomes
CV: http://lattes.cnpq.br/7714123072132679

******************************

EMENTA: O GT abarca reflexões acerca das relações de poder nas quais os animais estão inseridos nos âmbitos das relações com os seres humanos, especial, mas não exclusivamente, as abordagens com enfoque sociológico. São pertinentes as discussões acerca da natureza, das características, da estrutura, do desenvolvimento e das consequências destas relações de poder, cabendo a reflexão acerca das relações jurídicas, político-institucionais, econômicas, científicas, discursivas e éticas do humano
e do animal, com o enfoque para a descrição, explicação e reflexão crítica dos mecanismos de poder nestas relações. São aceitos trabalhos de matrizes teóricas das grandes áreas da Sociologia, Filosofia, Direito, Ciência Política e áreas afins que abordem relações sociais e relações de poder, a exemplo das teorias marxistas, estruturalistas (e pós estruturalistas), liberais, dos sistemas, entre outras.
COORDENADORA: Waleska Mendes Cardoso
CV: http://lattes.cnpq.br/4715987652300630
VICE-COORDENADORA: Nina Disconzi
CV: http://lattes.cnpq.br/7964995474008653

******************************

 

 EMENTA: Este grupo de trabalho tem por objetivo discutir as consequências de bem-estar único de uma eventual migração do consumo de carne tradicional para carne limpa, produto de agricultura celular, incluindo alguns aspectos relacionados à legislação de proteção animal.

Para a re dação pré-evento, considerar os seguintes norteadores:

  1. O que é bem-estar único: o reconhecimento das interconexões entre bem-estar animal, bem-estar humano e meio ambiente; a consideração de bem-estar único induz a reflexões sobre a consequência de qualquer decisão para seres humanos, animais não humanos e meio ambiente.
  2. O que é carne limpa: Vídeo Ian the chicken, em https://vimeo.com/226196373. Se preferir, clique em CC (choose captions) e escolha legenda em português.
  3. Uma visão de contexto: Prefácio para o Livro Clean Meat: how growing meat without animals will revolutionize dinner and the world de Paul Shapiro 2018, em http://www.labea.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2018/01/Harari-Prefa%CC%81cio-de-Clean-Meat-Shapiro.pdf.
  4. Caso a disponibilidade de carne limpa se torne ampla e acessível, há possibilidade de se enquadrar a produção de alimentos a partir da matança de um animal como crime, nos moldes do § 1º, Art. 32, Lei Federal 9605, de 12 de fevereiro de 1998 (Lei Ambiental)

COORDENADORA: Carla Forte Maiolino Molento

CV: http://lattes.cnpq.br/0305722196403558

******************************

 

EMENTA: Pretende-se tratar, de forma crítica, da temática das discussões que versam sobre a percepção e da incorporação da questão da senciência animal e seus reflexos nos poderes do Estado brasileiro, seja pela análise do teor das decisões emanadas do Poder Judiciário (ADI no 1.856/RJ, ADI no 3.776/RN, ADI no 2.514/SC, ADI no 3.645/PR; ADI no 3.035/PR, etc.); pelo conteúdo dos Projetos de Lei (PLs) em tramitação (por exemplo, na câmara dos Deputados tramitam as seguintes proposituras: PL no 351/2015, PLS no 631/2015, PLS no 650/2015, PLS no 677/2015, PL no 215/2007, PL no 2.156/2011, PL no 3.676/2012, PL no 6.799/2013, PL no 7.991/2014) e da própria
legislação vigente (Lei no 9.605/1998, Lei no 11.794/2008, Lei do Estado de Santa Catarina no 17.486/2018, Lei do Distrito Federal no 6113/2018, dentre outras); assim como das ações e políticas públicas perpetradas pelo próprio Poder Executivo. Dessa forma, objetiva-se fomentar a reflexão e a produção de trabalhos científicos que visem discutir, sobre o prisma proposto, a temática dos Direitos Animais.

COORDENADOR: Arthur Henrique de Pontes Regis

CV: http://lattes.cnpq.br/6833659805726329

******************************

 

EMENTA: O presente GT objetivará discutir os espaços de interconexões e interdependências das relações de opressão em Sociedade. Desta forma, serão bem-vindos os trabalhos que problematizem a questão animal como um locus apartado das contingências da vida. A perspectiva do GT passa pela compreensão de que a exploração e consumo de corpos animais  deve ser analisada atrelada a uma estrutura de Poder complexa que reifica e subalterniza existências múltiplas. Desta forma, serão aceitas abordagens que tomem em conta as Teorias Queer, Feminista, Marxista, Feminismo Negro, Teoria Decolonial, Critical Animal Studies, Afro-veganism, Anarcoveganismo, Estudios Criticos Animales, etc.

COORDENADOR: Jailson José Gomes da Rocha

CV: http://lattes.cnpq.br/2584021994730729

 

******************************

 

EMENTA:

COORDENADORA:

CV:

 

******************************

 

EMENTA: O presente GT objetiva discutir o processo de constitucionalização do Direito Animal e suas inter-relações com o sistema de proteção de direitos humanos. Após 3o anos de Ordem Constitucional estabelecida no Brasil, objetiva-se refletir sobre a atual conjuntura constitucional e a tutela jurídica de animais não humanos. Ainda serão bem-vindos trabalhos que promovam uma reflexão sobre outras ordens constitucionais e as suas implicações para a construção de um movimento constitucional brasileiro que tomem em conta os interesses juridicamente relevantes da animalidade.

COORDENADOR: Francisco José Garcia Figueiredo

CV: http://lattes.cnpq.br/2231924109834460

******************************

 

EMENTA: O presente GT versará sobre os assuntos pertinentes às práticas pedagógicas que envolvem as relações que a humanidade estabelece com a animalidade. Temáticas afeitas ao Direito Ambiental e Educação Ambiental assim como ao Direito Animal e Educação Animalista serão discutidos. A reflexão passará pela análise das práticas que submetem os animais à crueldade (na sociedade e nos meios de produção) e estratégias educacionais para a utopia de um mundo livre de crueldade contra animais; o discurso da educação animalista e o seu potencial promovente de comportamentos ambientalmente responsáveis. O papel do vegetarianismo e do veganismo.

COORDENADOR: Vicente de Paula Ataíde Júnior

CV: http://lattes.cnpq.br/8067162391395637

******************************

 

 EMENTA:  O GT pretende reunir trabalhos em diálogo com as ciências sociais, com foco nas relações cotidianas com animais não humanos, tanto no meio urbano quanto no meio rual. São esperados trabalhos voltados para uma diversidade de temáticas relacionadas ao convívio interespécie, como o estabelecimento e rompimento de laços afetivos, espacialidade e a moralidade que permeia as diferentes formas de convivência. Atenção especial é direcionada ao convívio com animais de estimação, com temas como família multiespécie, guarda responsável, consumo pet, conflitos e transformações das normas de convivência interespecífica. Dado o caráter transdisciplinar dessas temáticas, espera-se reunir não apenas trabalhos da Sociologia e da Antropologia, como também da Filosofia, Psicologia, Ciências Biológicas e Medicina Veterinária.

COORDENADOR: Maria Helena Costa Carvalho de Araújo Lima

CV: http://lattes.cnpq.br/1562460183286851

VICE-COORDENADORA: Nicole Louise Macedo Teles de Pontes
CV: http://lattes.cnpq.br/0800574110391775

******************************

 
EDITAL N.3/2017 – SUBMISSÃO DE ARTIGOS COMPLETOS

 

O Instituto Abolicionista Animal, responsável pela organização do VI CONGRESSO MUNDIAL DE BIOÉTICA E DIREITO ANIMAL com o apoio do NÚCLEO DE EXTENSÃO EM JUSTIÇA ANIMAL – NEJA/UFPB e o OBSERVATÓRIO DE BIOÉTICA E DIREITO ANIMAL – OBDA/UFPB, faz saber aos interessados que está aberto prazo para o processo seletivo de submissão de artigos conforme disposições a seguir.

O evento, em sua sexta edição, O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA, propõe o debate interdisciplinar em torno da relação animalidade-humanidade.

O evento está programado para o período de 26 a 28 de setembro de 2018, a ser realizado em João Pessoa-PB-Brasil.

 

1. DOS ARTICULISTAS

Art. 1º: Os articulistas interessados na submissão de artigo científico deverão ser professores, profissionais ou alunos regulares de graduação, mestrado ou doutorado nas áreas afeitas ao Congresso.

§ 1º: A coautoria será admitida, desde que realizada em conformidade com o art. 2º, caput do Edital.

§ 2º : Autores e coautores podem concorrer com apenas 1 (um) artigo científico.

2. DO ARTIGO CIENTÍFICO E DA SUBMISSÃO

Art. 2º: A temática do artigo científico deverá tratar de assuntos polêmicos, atuais e relevantes relacionados ao Direito Animal em uma perspectiva transdisciplinar, sempre que possível.

§ 1º –A temática do artigo deve ser incluída e submetida em algum dos Grupos de Trabalho abaixo assinalados:

  • Animais, Sociedade e Relações de Poder
  • A Senciência Animal e o Estado Brasileiro
  • Carne Limpa
  • Ética e Bioética Animal
  • Constituição, Direitos Humanos e Direito Animal
  • Educação Animalista
  • Sexismo, Classismo, Racismo e Especismo: interseccionalidades
  • Animais, cosmovisões e espiritualidade
  • Fauna Silvestre
  • Uso de animais e desequilíbrio ecológico
  • Relações interespécie: emoções, moralidade e representações sociais

§2º – Maiores detalhamentos sobre as temáticas dos GT´s encontrar-se-ão dispostas no sítio eletrônico do evento (http://saudeedireitoanimalufpb.com.br/).

Art. 3º: Serão selecionados para publicação em média 30 (trinta) artigos científicos, conforme entendimento da Coordenação.

§ 1º – O artigo científico deverá ser enviado on-line para o seguinte e-mail: artigocmda2018@gmail.com, até o dia 21 de julho de 2018 (prazo já prorrogado).

§ 2º – O artigo, ao ser enviado, deve indicar o Grupo de Trabalho ao qual se vinculará.

§ 3º – No corpo do e-mail, devem constar as seguintes informações:

  • Nome completo do autor
  • E-mail de contato
  • Telefone de contato
  • Titulação
  • Instituição na qual obteve a titulação e/ou é vinculado(a)
  • Textos de apresentação do Curriculum Lattes
  • Título e ementa do artigo em até 300 palavras

Art. 4º: O artigo científico que concorrerá à publicação deverá ser inédito.

Art. 5º: O artigo científico deverá possuir de 15 a 30 páginas; em versão Word, formato A4, com identificação da autoria (e coautoria, se houver), telefone de contato e endereço eletrônico (e-mail), e observar à seguinte formatação:

a) Margens superiores e à esquerda em 3 cm e inferiores e à direita em 2 cm;

b) Fonte Times New Roman;

c) Espaçamento entre linhas de 1,5 cm;

d) Parágrafos com recuo de 1,5 cm e sem espaçamento entre eles;

e) Títulos e subtítulos das seções numerados em algarismo arábico; somente com um espaço entre o número e o título ou subtítulo; em tamanho 12; maiúsculo e negrito com dois caracteres entre o título/subtítulo e o texto;

f) Subtítulos das seções em negrito e somente com a primeira letra maiúscula;

g) Não deverá haver quebra de página entre títulos e subtítulos;

h) Citação por notas de rodapé, fonte Times New Roman, tamanho 10.

i) Qualificação da autoria;

j) Numeração no fim da página e à direita;

k) Palavras em inglês devem estar em itálico.

l) As citações e referências devem seguir as normativas da ABNT. Sugere-se evitar citações demasiado longas (superior a 3 linhas). Privilegiem as citações indiretas. Também devem ser evitadas as citações de fontes secundárias (“apud”), ou transcrições, na forma de citação, em língua estrangeira, devendo-se preferir a tradução pelo autor do artigo.

Art. 6º: A publicação da Obra Coletiva será realizada pela Editora que a Coordenação definir.

Parágrafo único: O(s) articulista(s) que não concordar(em) com o método de publicação poderão desistir da publicação, caso o artigo ainda não tenha sido enviado para a editora.

Art. 7º: A lista dos artigos selecionados será divulgada no dia 30/07/2018, através de notificação, por e-mail, ao(s) articulista(s).

§ 1º – O artigo científico selecionado não importa em efetiva publicação na obra coletiva. Para publicação, os autores devem apresentar o artigo no respectivo Grupo de Trabalho do Congresso. Igualmente, devem efetuar as alterações/correções sugeridas pela Coordenação do GTs no prazo definido.

§ 2º: A decisão da Coordenação é soberana e livre em suas decisões, não cabendo delas recurso a qualquer instância.

Art. 8º: Os autores dos artigos selecionados deverão, obrigatoriamente, confirmar sua inscrição e participação no Congresso em até cinco dias úteis após a divulgação do resultado do processo de seleção.

Art. 9º: Somente artigos de autores inscritos no Simpósio serão incluídos no E-book.

Art. 10º:  Autores de artigos não selecionados terão sua inscrição e vaga garantidas pela organização do evento.

3. DA APRESENTAÇÃO ORAL DOS ARTIGOS

Art. 11: Não é permitida a designação de representante para a apresentação oral do artigo.

Art. 12: Os artigos de autores ausentes serão considerados prejudicados.

Art. 13:O autor que faltar à apresentação oral do trabalho, após aconfirmação de presença, estará impedido de apresentar artigos nos congressos e eventos promovidospelo Instituto Abolicionista Animal no ano subsequente.

Art. 14: A apresentação dos artigos será feita oralmente por oito minutos, sem tempo extra;

Art. 15: Na sequência, o Coordenador do GT poderá elaborar questões por cinco minutos;

Art. 16: A divulgação da sala onde será apresentado o artigo ocorrerá no dia da apresentação, mediante afixação de cartazes no saguão principal do evento e na porta da sala respectiva.

4. DISPOSIÇÕES FINAIS

Art. 17: O não atendimento às previsões contidas deste edital implicará não publicação do artigo científico.

Art. 18: Os casos não previstos por este Edital e os casos duvidosos serão decididos pela Coordenação da Obra Coletiva.

Art. 19: Os artigos poderão ser submetidos em Língua Portuguesa, Língua Espanhola, Língua Inglesa ou Língua Francesa.

Art. 20: O proponente é responsável pela veracidade das informações referentes à titulação e dados de identificação da propositura.

 

 

 

 

João Pessoa, 20 de março de 2018.

A Comissão Organizadora.

________________________________

MODELO DE ARTIGO PARA SUBMISSÃO

Resultado de imagem para WORD

DOWNLOAD